Novembro

Teatro Adulto

NAS VENTANIAS DE UMA ARETÉ

Dias 10 e 11, 17 e 18, 24 e 25 de Novembro.

Sábado às 21h, Domingo às 19h.

Pague Quanto Puder.

Sinopse:

Narra a saga de Benito, um homem que faz da ordem seu caminho e nas encruzilhadas da vida vê sua patente ameaçada e por isso vai defendê-la a qualquer custo.

Ficha Técnica:

Atuação: Majó Sesan

Direção: Rogério Tarifa

Texto: Michel Yakini 

Cenografia: Andreas Guimarães

Figurino: Ruth Melchior

Luz: Marcus Filomenus

Trilha Sonora: Mário Conte

Direção Musical: André Pereira

____________________________

Show e Lançamento do Vídeo

SAMBA DA UTOPIA

com

JONATHAN SILVA

Participações encantadas : CEUMAR e GISELDA PERÊ

Dia 16 de Novembro, Sexta, 21h.

R$ 20,00  (inteira)  R$10,00 (meia).

Sobre Jonathan Silva:

O músico Jonathan Silva é natural de Vitória-ES e reside em São Paulo desde 1999. Tem três CDs autorais lançados: “Necessário” (1996), “Benedito” (2008) e “Precisa-se de compositor com experiência” (2015). Suas composições misturam as linguagens do Congo, Samba, Jongo e Baião com influências da vanguarda paulistana, como Itamar Assumpção e Grupo Rumo, resultando num criativo universo sonoro. Atua como compositor junto às companhias de teatro Bonecos Urbanos, Cia São Jorge de Variedades e Cia do Tijolo.
Acaba de lançar, em outubro de 2018, o single “Samba da utopia” com participação da cantora Ceumar e da Cia do Tijolo.

Ficha Técnica:

Jonathan Silva: voz e violão
Filpo Ribeiro: guitarra, viola dinâmica e rabeca
Marcos Coin: violão e guitarra
Lucas Brogiolo: percussão e bateria

Foto: Adriana Vichi

___________________________

Música

KLEBER ALBUQUERQUE e RUBI

no show

CONTRAVENENO

Dias 22 e 29 de Novembro, Quinta, 21h.

R$ 30,00(inteira) R$ 15,00(meia).

Sobre o show:

CONTRAVENENO

“Você tem razão, sou contradição,

Vou na contramão dessa multidão,

Se ela diz que sim, luto pelo não,

Se ela diz que não, é tão claro o sim.” ​

CANÇÕES PARA DESENVENENAR CORAÇÕES EM TEMPOS TÓXICOS ​

O compositor e cantor paulista Kleber Albuquerque e o cantor brasiliense Rubi apresentam o novo espetáculo musical “CONTRAVENENO”, mais do que um simples encontro no palco, os músicos celebram o prazer de entretecer melodias e entrelaçar seus cantares na boa e velha arte de cantar a duas vozes. Em comum na carreira individual dos dois artistas há a influência da tradição da música caipira, das duplas sertanejas ouvidas na infância.

Para além deste mergulho interior, tanto no sentido geográfico quanto sentimental, “CONTRAVENENO” elege um repertório de canções com alta densidade poética, com letras que, ainda que não panfletárias, dialogam de forma crítica em relação ao momento atual, revitalizando a assim chamada “linguagem da fresta” em temas como A Banca (composta em “homenagem” a Eduardo Cunha) e na própria Contraveneno, a canção que dá título ao show.

Foto: Flavia Alves

____________________________

Teatro Adulto

O CAPITAL – Arlequins apresenta Marx

Dia 30 de Novembro, Sexta, 21h.

Pague Quanto Puder.

Sobre o espetáculo:

“Ser radical é agarrar as coisas pela raiz. Mas, para o homem a raiz é o próprio homem.”– Karl Marx

O Arlequins, da Cooperativa Paulista de Teatro, há mais de 40 anos se dedica ao fazer teatral. No diálogo entre os artistas e o público desenvolvemos nossa poética, que retrata a síntese do que fizemos do presente e do passado: nossa história – “tudo tem história” -, aprendemos a sentir nos ventos onde buscar esse essencial do teatro: o público. Espectadores públicos, problemas públicos, a comunidade, sempre, como centro. Seja a comunidade dos cidadãos das várias classes seja a comunidade teatral, sempre na tentativa de superar os conceitos de cultura-opressora. Há que chegar a ele, o público, esse direito. Acreditamos na arte como expressão política e na busca da construção de um humano que supere, a nossa pouca humanidade.

Com a comédia épica “O Capital – Arlequins apresenta Marx” queremos trazer uma reflexão para essa “irracionalidade” que cega os sectários, não permitindo a percepção da dinâmica da realidade. Em 2017, o Livro I de O Capital comemorou 150 anos de sua primeira publicação e em 2018, 200 anos do nascimento de Marx. Hoje vivemos uma crise econômica, política e social, um desmonte de direitos dos trabalhadores, que foram conquistados com muita luta. O Capital, de Karl Marx, nos fornece uma potente ferramenta para compreendermos como essa sociedade se organiza. A questão não é partidária, nem de Estado, nem de democracia, e sim reconhecer que esse modo de produção subordina as demais esferas do nosso cotidiano individual e coletivo: É UMA TOTALIDADE!

“Para o pensar não há ponto de partida melhor do que o riso. As sacudidelas do diafragma oferecem melhores chances para o pensamento do que as comoções da alma.” – Walter Benjamin

 

Ficha Técnica:

Texto – Éjo de Rocha Miranda e Ana Maria Quintal

Direção Sérgio Santiago

Elenco Alexandre Garcia

               Ana Maria Quintal

               Danielle Agostinho

               Fillipe Gomes

IluminaçãoIra Montenegro

SonoplastiaMiranda

Artes Gráficas/Fotografia Marisa Quintal

Operação Técnica João Riddle

                                        Vanda Martins

 

compartilhe...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

Author: Casa Teatro de Utopias

Casa Teatro de Utopias junta-se aos outros pequenos teatros e espaços de cultura espalhados por São Paulo – espaços luminosos, amorosos e de respiro vital para a cidade – nos quais corações batem forte em luta por vida digna, justa, plena e feliz.

Leave a Reply